Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adorable Mi

Motherhood, Recipes and Lifestyle

Adorable Mi

Motherhood, Recipes and Lifestyle

10.12.19

Adeus, amamentação

Adeus amamentação

Um desmame natural, é tudo o que uma mãe pede. Mas embora o meu bebé estivesse preparado para se afastar de mim, eu e o meu corpo ainda não estávamos preparados para esta separação.

A nossa jornada não foi fácil, amamentar não é assim tão fácil como se fala. Existem períodos difíceis, momentos de dor e aflição, pensamentos de desistência, mas no fim, o facto de pudermos alimentar o nosso bebé da forma mais natural e saudável possível, faz desaparecer todos esses pensamentos.

A primeira experiência foi fantástica, acabado de nascer e colocado ao meu lado, procurou a maminha e começou logo a mamar como se já fizesse isso a vários meses. Não podia estar mais feliz desse momento, aquela segunda tentativa de amamentação prometi a mim mesma que seria diferente.

Li, reli, informei-me e fui a palestras e workshops sobre a amamentação. Desta vez queria estar informada, ninguém me iria "convidar a desistir" de amamentar, porque era algo que queria muito fazer.

9B24B994-1DF5-4FFA-AABD-38A7FB3CFC68.jpeg

Os primeiros meses foram difíceis, mamilos gretados, muito leite para tirar, dar de mamar de pouco em pouco tempo, e apesar de ele mamar muito e bem, e de estar a engordar, diziam estar a engordar pouco, só para esclarecer o Salvi sempre foi, e é um bebé magrinho de percentil 15. Nem todos os bebés são iguais, tal como nem todos os adultos são iguais, lá porque um bebé não está no percentil 50, que é a média da população, não significa que não seja saudável e bem nutrido. Mas uma das coisas que falei noutro post sobre as maiores dificuldades da amamentação, foi a falta de apoio por parte da equipa médica. São poucos os médicos que incentivam à amamentação, só para lhes facilitar a vida e terem todos bebés de percentil 50, assim não precisam de se chatear muito.

Mas tudo o que tem um inicio, tem um fim, como diz o ditado

Quando finalmente pouco antes dos 4 meses, achamos que já está tudo a correr bem, vamos a consulta mensal de rotina e vemos que ele engordou apenas 35 gramas num mês (que para quem não está a par destes números é a média diária para um bebé, 20 a 35 gramas por dia).

Como mãe estão a ver o meu pânico, né! Na consulta verificou-se que ele estava bem, bem nutrido, não tinha nada visivelmente que pudesse causar essa situação, o que surgiu novamente outra historia sobre os mitos da amamentação, que já não tinha muito leite, ou que o leite não era suficiente. Acreditem, quando digo que por muito que eu soubesse, que o meu marido me dissesse, e que tivesse sacos no congelador que o provassem, o meu pensamento foi o mesmo, o meu leite não presta, ele não está a beber nada, ....

Mas mais uma vez, tudo mitos, afinal o que ele tinha era uma infeção urinária, sem quais quer outros sintomas, como febre, falta de apetite, menos xixis ou cocos. O que nos levou a ficar internados por uma semana a antibióticos. E adivinhem lá, apesar de ter leite, (como fiquei uma semana com ele no hospital tive de tirar lá leite), os profissionais aconselharam a introduzir as papas aos 4 meses para ficar melhor alimentado. Enfim, apesar disso, continuámos em força a nossa jornada pela amamentação.

Eu não estava preparada e o meu corpo também não.

Poucos foram os problemas depois disso, com a introdução alimentar passamos por alguns dias em que preferia não mamar e trocar por mais comida, mas tudo se resolveu quando passou a fazer as suas 4 refeições de comida solida.

F4F08BD6-3E2C-4F8C-8028-B89E164CED78.jpeg

Criámos a nossa rotina, sempre maminha ao acordar e ao deitar, e depois íamos variando os "snacks" durante o dia, umas vezes maminha entre a papa e o almoço, outra vezes entre o almoço e o iogurte, e outras entre o iogurte e o jantar.

Mas tudo o que tem um inicio, tem um fim, como diz o ditado. E por aqui não foi diferente. Com muita pena minha, porque ainda não estava preparada, deixamos a amamentação aos 14 meses, quase 15. Não houve aviso prévio, não foi deixando de mamar. Simplesmente acordámos, e não quis mais. Ainda tentei várias vezes, mais do que me orgulho de ter tentado, porque não queria acabar com aquele nosso tempo a dois. Eu não estava preparada e o meu corpo também não, continuo a ter leite, e só nas ultimas semanas é que diminuiu drasticamente. Mas de todas as vezes que tentei, o resultado era sempre o mesmo, muito choro, ele a empurram-me a mama porque não queria, e eu triste e a chorar por ter chegado ao fim.

Então quando recebi uma oferta da Lackto, uma empresa que vende um kit DIY, para a mamã guardar o seu pendente de leite materno para sempre, fiquei super entusiasmada, porque desta maneira podia guardar algo físico, não só as recordações, deste nosso precioso momento a dois.

3D54EE9F-D83F-436D-8776-565ABD90C42D.jpeg

Para quem já viu o vídeo no IGTV já sabe como é fácil e rápido fazer a joia de leite materno em casa, a parte difícil é ter de esperar 48h para puder finalmente por a volta do pescoço 🥰.

Eternize a amamentação em uma linda joia de leite materno

Para conhecerem um pouco a marca deixo aqui a origem da mesma, porque tal como nós mamãs gostamos muito desta ideia, outra mamã teve esta ideia genial para nós.

"Pense no sonho de transformar o seu leite materno numa joia, uma peça sólida como uma pedra. Será a lembrança eterna dos momentos marcantes do período da amamentação. Agora, pense que é possível ter em mãos um kit com todos os materiais necessários para você fazer a sua própria joia de leite materno.

A farmacêutica Júlia Quintana desenvolveu, há mais de dois anos, uma fórmula exclusiva para a petrificação de leite materno. Diante desta conquista, ela fundou a empresa "Pingente de Amor", que desde então tem produzido pendentes e outras peças feitas com leite materno.

A partir desta experiência, a empresária percebeu que seria perfeito se o pendente pudesse ser feito na modalidade "Do it yourself", ou seja, "faça você mesmo". Por outras palavras: é a própria mãe que fabrica a jóia, no conforto da sua casa.

Tudo começou porque muitas mães pediam para que o processo de produção do pendente fosse filmado. Elas precisavam de ter a certeza de que a joia seria feita realmente com o seu leite materno.

Então, após a obtenção do pedido de patente da fórmula, o que até então era uma ideia, tornou-se realidade.

Foi assim que surgiu a Lackto, empresa paralela à Pingente de Amor, que comercializa um kit com todos os itens para a confeção de uma joia de leite materno. Ele é composto pelo molde que dará forma à peça final e pela "fórmula mágica" que será misturada ao leite materno, transformando-o numa joia tão sólida e resistente quanto uma pedra."

Eu já fiz a minha, e foi a melhor recordação com que podia ficar destes 14 meses cheios de amor, por isso escolhi o coração torcido. Mas existem vários pendentes diferentes, basta escolherem o vosso preferido. E vocês? Não querem eternizar este momento também?

 

Mi

 

P.S. Vejam também as maiores dificuldades da amamentação e o gift guide que tem esta e outras sugestões de presentes.

Adeus, amamentação

Guardem esta imagem no Pinterest para pesquisarem mais tarde.

 

Follow us on Instagram

About me

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vamos marcar uma sessão fotográfica?