Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adorable Mi

Motherhood, Recipes and Lifestyle

Adorable Mi

Motherhood, Recipes and Lifestyle

21.05.19

Amamentação

BE1AEFD7-C620-4C03-898C-13AA8E31C489.jpeg

Acho que este post é o mais difícil, mas mais satisfatório post que vou escrever.

A amamentação não é fácil. Fica logo aqui um aviso para quem vai ser mãe e quer amamentar. Mas não é por dizer isto que estou a incentivar a desistir, muito pelo contrario. Escrevo este post com o intuito de ajudar pessoas, deixa-las conscientes do que ai vem, bem preparadas, para que se for esse o vosso objectivo, de amamentar o vosso filho ou filha, que não desistam, que saibam bem por aquilo que vão passar, para estarem cientes de que é algo que se tem de fazer com muita força de vontade, principalmente hoje em dia, onde são muito poucas as pessoas na sociedade que apoiam este acto maravilhoso, esta dádiva divina de deus, de amar e nutrir os nossos bebés.

Quero que saibam como funcionam as coisas para que não caiam no mesmo erro que eu, que assim que tive uma duvida, fui logo incentivada a deixar de amamentar e dar suplemento. O que me deixou muito em baixo e triste, porque o que mais queria era puder amamentar. E tinha muito leite, mas lá chegaremos a essa parte.

A amamentação é amor, não serve só para alimentar o bebé. Claro que num primeiro contacto o nosso leite é o alimento exclusivo do nosso bebé. E é ai que começam as primeiras duvidas e dores de cabeça. Por isso ficam aqui as minhas 5 maiores dificuldades da amamentação.

Não ter leite suficiente/ o leite não é bom

Acho que este é logo o primeiro pensamento de qualquer mãe. Seja por ser a primeira vez que põe o bebé ao peito, ou pela 13569 vez, este pensamento está sempre presente. Ora a primeira coisa que aprendi sobre este assunto foi com a Enf. Carmen Ferreira (blog Bebé Saudável), que explicou logo que tal coisa não existe.

Não existe leite mau ou fraco. Existem bebés com necessidades diferentes, uns comem mais, outros comem menos. O que leva ao outro ponto, de não ter leite suficiente. As nossas maminhas não são copos de leite, que se bebe e volta a encher-se o copo, elas são uma fabrica, e se há muita procura, a fabrica trabalha mais, se há menos procura a fabrica trabalha menos.

Por isso se começarem a achar que têm "pouco" leite, se acham que o bebé não fica satisfeito com uma maminha, ofereçam a outra, se mesmo assim não acham que é o suficiente, ofereçam mais vezes, e em poucas mamadas a nossa produção de leite aumenta logo.

Nota: se estão no inicio da amamentação tenham atenção, porque nesta altura a nossa fabrica ainda está destabilizada e não sabe bem o que produzir, ainda está a aprender qual a quantidade certa que o bebé precisa, por isso umas vezes tem se leite a mais outras a menos, mas em alguns dias as mamadas começam a ser mais frequentes, mais regulares, e fica tudo normal.

 

Dor

Amamentar doí. Não vou mentir. Para mim doeu, e muito. Mas não foi por amamentar, não foi por alimentar o meu filho, foi por outros factores relacionados com isso mas não foi culpa dele.

Primeiro o mamilo não estava pronto para dar de mamar, não estava habituado a isso, por isso quando começamos a dar de mamar de duas em duas horas (ou de quatro em quatro se estivermos a falar de uma só maminha) ele está a ser sub-carregado e é normal que faça gretas e feridas e que sangre um pouco até.

Segundo, a chamada "subida do leite", faz dor, claro que faz, está a encher, também não estavam habituadas a isso as pobres das maminhas. Mas com umas massagens, um quente, um frio, e libertar algum leite, dá logo um alivio momentâneo.

Terceiro, esse demasiado leite nas maminhas, se não forem bem esvaziadas podem ficar ingurgitadas e pode levar a uma mastite, por isso tratem de oferecer bem essas maminhas aos bebés para eles esvaziarem bem isso.

Quarto, a pega errada. É verdade, se o bebé não fizer uma boa pega na maminha pode doer. O que pode também ser uma das causas dos mamilos gretados, porque se o bebé não abocanhar a aureola por completo, e só o bico da maminha, pode estar a magoar e deixar feridas, e também não é bom para o bebé porque pode não estar a conseguir extrair o leite.

 

Mastite

A mastite é uma a inflamação nas maminhas que acontece quando um ducto de leite não está a drenar bem e fica inflamado. Os principais sintomas são a maminha vermelha/inflamada, febre, e dor a amamentar. Normalmente acontece apenas numa maminha, no meu caso este foi o que me levou a deixar de amamentar o Santiago, pois tinha mastite nas duas maminhas ao mesmo tempo. O que me aconteceu foi que tinha muito leite, e não estava a conseguir oferecer todo, o que levou a que os ductos ficassem entupidos e desse muita dor ao amamentar. Como não estava a conseguir melhorar da mastite fui "convidada" a deixar de amamentar. E este ponto leva-me a outro também muito importante, se não o mais importante de todos.

 

Falta de Informação e preparação

Todas nós antes de ir para o hospital parir temos a necessidade de nos informarmos sobre como será o parto, o que temos de fazer, ou levar para estarmos preparadas para esse momento. E a amamentação? Ninguém me falou da amamentação! Essa sim, é que devia ser obrigatória de se falar, porque o parto são algumas horas (minutos para quem tiver sorte), mas a amamentação são meses ou até mesmo anos, e ninguém nos prepara para isto.

Por isso assim que soube que estava grávida do Salvador, pesquisei, informei-me, fui a muitos workshops/formações sobre amamentação, porque decidi que desta vez ninguém me iria dissuadir de amamentar o meu bebé.

 

Falta de Apoio e Críticas

Já para não falar que são poucos os médicos que incentivam à amamentação. Eles querem é bebés todos percentil 50, para serem todos iguais e não dar muito trabalho.

A falta de apoio e as críticas não são só dos outros, dos olhares dos desconhecidos ao amamentar em público, vem da nossa família e amigos também. A sociedade moldou-nos a acreditar que dar de mamar não é uma coisa bonita, que não alimenta os bebés. E os nossos, vem falar-nos disso, perguntar, "mas porque é que não lhe começas a dar papa?" ou "o teu leite já não alimenta, devias dar leite adaptado".

 

O importante aqui é o nosso bebé. Amamentar é a melhor coisa que podemos fazer por eles. A melhor maneira que temos de criar uma ligação. O melhor alimento que lhe podemos oferecer.

Amamentar não é só alimentar, é também dar AMOR.

Por aqui já vamos com 9 meses de amamentação e muito amor, e vocês?

 

Mi

 

 

Follow us on Instagram

About me

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vamos marcar uma sessão fotográfica?