Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adorable Mi

Motherhood, Recipes and Lifestyle

Adorable Mi

Motherhood, Recipes and Lifestyle

21.10.19

Rotinas cá de casa

Rotinas

A palavra rotina pode parecer confusa, pois pode ter varias interpretações. Pode parecer estranho falar sobre as nossas rotinas, uma vez que já tinha dito que não temos rotinas definidas, ou que temos um Zero Plans Day. Mas a palavra rotina tem um significado muito abrangente, neste caso podemos defini-la como uma prática constante, ou o hábito de fazer uma coisa sempre do mesmo modo. Não me refiro as rotinas do dia-a-dia, mas ás rotinas que ensino aos meus filhos, de higiene, de deitar, de comer, etc.

As rotinas são fundamentais na vida dos bebés e das crianças. Porque é com elas que eles aprendem a viver em sociedade. São essas regras que lhes são incutidas em pequenos que ajudam a desenvolver competências sociais, que promovam a saúde, a segurança e lhes dão confiança.

 

Quando a rotina é bem estabelecida, gera segurança, diminui a ansiedade e situações de desorientação. Além disso, uma rotina bem planeada ajuda na formação de bons hábitos. E quando os bons hábitos são incorporados, os castigos não são necessários - Psicóloga Olga Reis

 

Sou uma mãe a tempo inteiro, que está sempre em casa. Ora se fizéssemos todos os dias as mesmas coisas iguais, acho que nem este blog me ajudava a desanuviar a cabeça. Por aqui não temos uma hora certa para comer, ou dias certos para brincar com alguns brinquedos, saímos a rua quando nos apetece, e cozinhamos bolos a toda a hora. Fazemos o que nos apetece e quando nos apetece. Mas isso não significa que não existam regras cá em casa. O Salvador ainda é muito pequenino e ainda não entende bem como é que funciona isso das regras, mas o Santiago já é crescido o suficiente para entender e participar.

Como já tinha falado, o Santiago está numa fase em que nos adora testar e acha que quem manda é ele. Tenho aproveitado esta fase para o deixar decidir, tomar a liberdade, de escolher algumas coisas. Sempre que me ajuda, como por exemplo a por a mesa, ele põe a parte dele na mesa sozinho, e escolhe o prato e o copo que vai usar (a loiça deles tem bonecos e várias cores), outras vezes pergunto-lhe o que ele quer vestir, outras ele vai sozinho a gaveta e escolhe. Ele brinca com os brinquedos que quer, e muda de brincadeira sempre que lhe apetece.

Mas temos coisas bem definidas cá em casa. Quando se acorda faz-se xixi. Toma-se o pequeno-almoço e lavamos os dentes. Depois de comer, lavamos sempre as mãos. Dizemos sempre Por Favor e Obrigado. Damos sempre a mão, e olhamos para a estrada para ver se não vem nenhum carro antes de atravessamos. Quando chegamos a casa a primeira coisa que fazemos é tirar os sapatos e o casaco e arrumar no sitio. No fim do dia arrumamos os brinquedos antes de ir dormir.

São estas pequenas regras que fazem toda a diferença quando queremos desenvolver aptidões físicas e psicológicas neles. Como por exemplo, depois de definidas algumas destas regras, como as regras de higiene, será mais fácil iniciar o desfralde, porque a criança já sabe que a seguir a ir fazer xixi têm de lavar as mãos. E as regras da higiene é o primeiro passo para um bom desfralde.

As crianças aprendem quase tudo por imitação, por nos ver a fazer. Com eles não vale a pena o ditado "faz o que eu te digo, não faças o que eu faço", pois para eles, se nos vem a fazer é porque está certo, por isso nos somos a primeira fonte de informação e conhecimento dos nossos filhos, e o exemplo tem de partir de nós. 

Mas temos de perceber que são crianças e tem necessidades diferentes das nossas enquanto adultos. Então aqui por casa tudo o que fazemos gira em torno da hora de comer, e de dormir (á noite). Tudo o que é preciso ser feito faz-se nesses dois intervalos, entre acordar e almoçar, e entre almoçar e jantar/dormir. Pelo meio brincamos, cozinhamos, tomamos banho, fazemos snacks, e embora estas coisas não tenham uma hora especifica para acontecer, o Santi sabe sempre que elas vão acontecer.

A criança até aos 3 anos está a aprender as regras e normas sociais. Centra-se muito no "é meu", agarra-se às suas coisas e esconde-as. Pode fazer birras porque tem sono, porque está doente ou simplesmente porque está a ser contrariado/a. Ao crescer, a criança tem de aprender que nem tudo pode ser como ele/a quer. - APF

Vamos começar a utilizar um quadro de tarefas. Para ele perceber o que já fez e o que ainda falta fazer durante o dia. Ele está a aprender muitas coisas novas e a tornar-se cada vez mais  independente. Como já tinha falado brincar ajuda a criança a desenvolver-se e a aprender. Por isso nada melhor de que criar uma nova brincadeira, que a lista das tarefas. Claro que nem sempre é fácil leva-lo a fazer todas as tarefas, enganem-se se acham que eles nos obedecem.

Sempre que oiço um NÃO já sei que vamos ter de parar e levar as coisas por outro caminho. Tento explicar-lhe porque é que temos de fazer aquilo, ou mostro/ajudo como se faz. Na maioria das vezes se ajudar, já é meio caminho andado para ele também ajudar, mas a dias em que não é fácil po-lo a fazer alguma coisa, e a nossa cabeça também tem um limite. As vezes tenho de repetir 400 mil vezes a mesma coisa, e mesmo assim acabo por ter de o por de castigo.

 

O bom senso e um entendimento sobre a educação dos filhos é fundamental para o equilíbrio e bem-estar psicológico das crianças. É importante que quem cuida e educa a criança (inclusive avós e outras pessoas), conversem sobre as regras que consideram importantes para a criança de forma a que todos atuem da mesma forma para com ela.

Muitas birras acontecem em locais públicos. Esta pode ser uma fase difícil para os pais, mas é muito importante ser firme com a criança. O sentido de humor e a paciência podem ser a chave para algumas birras.

A excessiva atenção alimenta a birra, pelo que uma estratégia possível pode ser não dar atenção à criança durante o período em que apresenta o comportamento desapropriado. Os adultos devem, no entanto, permanecer atentos para o caso da criança fazer alguma coisa que seja perigosa. - APF

 

Isto também é uma novidade para mim, também estou a aprender a ser mãe. Não nasci ensinada. Mas sei que com calma, ei de conseguir chegar lá. E vocês? Como são as vossas rotinas? Também passam por várias birras ao longo do dia?

 

Mi

 

P.S. Vejam algumas formas de ensinar com calma e como podemos ensinar a brincar.

 

Follow us on Instagram

About me

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vamos marcar uma sessão fotográfica?